segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Não não não ao Ato Médico!

Atenção a todos!

Durante todo o mês de dezembro, está sendo feita uma enquete na página do senado - http://www.senado.gov.br/agencia/default.aspx?mob=0 – perguntando à população se são a favor ou contra o projeto de lei do Ato Médico…

Um dos maiores absurdos já idealizados na área da saúde, esse projeto de lei visa a autonomia de profissionais médicos e a submissão de todos os outros profissionais da saúde a esses médicos. Dessa forma, qualquer profissional da saúde, seja ele biomédico, enfermeiro,  fisioterapeuta ou psicólogo… Nenhum desses profissionais poderá, liberar um laudo, ou chegar a um cargo de chefia. Na hierarquia de um hospital, laboratório ou instituto, um médico e somente um médico poderá estar na chefia.

Isso não existe, é um absurdo sem igual! Não se pode considerar uma única profissão de uma área gigantesca como a saúde, como sendo a principal e mais importante profissão. Um médico, em seus seis anos de curso em período integral, nunca vai ter o mesmo estudo que um biomédico teve em quatro anos, a especialização em laboratório, o olho treinado no microscópio, a técnica laboratorial… Atributos próprios de um biomédico!

Se um médico fizesse 40 anos de faculdade e estudasse todas as áreas da saúde e se especializasse em todas elas, aí sim poderíamos pensar nesse projeto, mas como isso é um absurdo, devemos protestar, não só como profissionais que somos, mas devemos protestar em nome da população, que será imensamente prejudicada se isso for aprovado…

Então peço a todos os leitores que espalhem o link - http://www.senado.gov.br/agencia/default.aspx?mob=0 - no seu blog, twitter, MSN, Orkut onde for… VOTEM CONTRA ESSE PROJETO… A enquete se encontra no lado direito da página, logo abaixo das últimas notícias.

Na enquete, o número de pessoas a favor está ganhando por pouco mais de 10% dos votos. Nós ainda podemos mudar isso… A maioria das pessoas que votaram são médicos, vamos mostrar agora o que o povo tem a dizer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário sobre essa postagem.