quinta-feira, 31 de julho de 2008

Homem ou Primata?

















Para o geneticista Wen-Hsiung Li, nascido em Taiwan e radicado na Universidade de Chicago, entender a evolução humana pode reduzir o preconceito entre as pessoas. Ele acredita que agora temos um conhecimento bastante bom do assunto, mas restam grandes mistérios.

Essas foram as conclusões finais da palestra deste fim de semana. Para ajudar nessa compreensão de como chegamos a ser o que somos, ele mostrou estudos - dele e de outros - que mostraram que humanos são muito parecidos com os outros grandes primatas - chimpanzés, bonobos, gorilas e orangotangos. Um desses estudos, publicado em 2001, analisou trechos do DNA dos grandes primatas e encontrou, em média, 1,2% de diferenças entre as seqüências de humanos e de chimpanzés.

Boa parte da diferença não está, portanto, na seqüência genética. Está na regulação dos genes: quando genes são ligados ou desligados? Onde no organismo? Com que intensidade funcionam? É essa regulação, diz ele, que afeta o desenvolvimento embrionário, a fisiologia e a saúde. E que nos torna diferentes de chimpanzés.

A linguagem é uma dessas diferenças. Pois existe um gene - segundo ele o único até agora detectado que influencia especificamente a fala e o desenvolvimento da linguagem - que sofreu mais mutações ao longo da evolução humana do que se esperaria comparado ao resto do material genético. É o FOXP2. Será que a seleção natural favoreceu os falantes? Fica a pergunta.

Outro exemplo que Li apresentou foi cor de pele. Alguns genes regulatórios afetam coloração tanto de peixes como de humanos. Como essas características se alteram ao longo do tempo? Ele não entrou em muitos detalhes, mas diz que certas variantes dos genes foram selecionadas durante a evolução recente.

Faltou aprofundar-se mais, fica a curiosidade. De todo jeito, este é um resuminho rápido. Na edição de agosto da revista de Pesquisa Fapesp sairá um relato mais detalhado, que estará também aqui. E aqui deverá entrar um outro resuminho, junto com uma amostra de vídeo da palestra.

Texto retirado do Blog "Ciência Idéas"

Um comentário:

  1. Elisabete Rodrigues de Souza23 de fevereiro de 2009 16:42

    Boa Tarde! Gostaria de saber como uma pessoa pode participar das pesquisas de celulas-tronco, pois meu pai teve um AVC em 20/05/06 paralização de todo o lado esquerdo,não sei te dizer se foi hemorragico ou hisquemico, infelizmente nao foi socorrido antes de 3hs,ele hoje tem 74 anos, sempre foi uma pessoa extremamente ativa, mas agora esta definhando, não quer viver assim, esta completamente lucido, por favor me de uma resposta, agradeço desde ja.
    Elisabete Rodrigues de Souza
    elisabete2976@terra.com.br - (19) 3885-1125

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário sobre essa postagem.